NOTÍCIAS

¿Cuántos maratones puedes correr al año?

O reconhecido atleta e treinador espanhol Toni Peña, dono da 3ª melhor recordista de maratonas da Espanha (2:07:34) nos guia nesta discussão tão importante

 

Correr 42 km (42.195 metros) é uma prova exigente para qualquer um. Significa muito desgaste e preparação, tanto física como mental.

É normal que logo após cruzar a linha de chegada, emocionado por ter conseguido completar seu objetivo ou um pouco frustrado por não ter conseguido, você comece a definir seu próximo desafio.

Talvez você queira curtir mais uma vez as boas sensações ou a raiva impulse você a procurar outra oportunidade. Mas, cada quanto tempo seu corpo e sua cabeça podem suportar o esforço de correr uma maratona? Quantas maratonas pode correr em um ano?

Fizemos essa pergunta para Toni Peña, corredor e treinador e dono do 3º melhor recorde espanhol de maratonas (2h07’34’’), para conhecer a sua opinião e ele respondeu o seguinte:

Quantas maratonas podemos correr em um ano?

Não existe uma regra matemática para determinar quantas maratonas podemos correr em um ano, cada pessoa tem suas qualidades e circunstâncias. Porém, há certos fatores que condicionam o tempo entre maratonas:

– Duração do ciclo específico: para mim, um ciclo específico de maratona dura 12 semanas, ou seja, 3 meses. Obviamente este ciclo começa quando o atleta já conta com uma base prévia e está acostumado ao hábito de correr.

– Recuperação pós-maratona: após uma maratona é necessário um período de recuperação e treino um pouco livre, esquecendo o planejamento de treino e deixando a sua cabeça e seu corpo se livrarem das pressões para poderem se regenerar. Este período pode durar fácilmente de 2 a 4 semanas.

Considerando essas duas fases, teremos no mínimo uns 4 meses antes de enfrentar uma nova maratona.

O que pode acontecer se você praticamente une um ciclo específico com o próximo?

Se você determina simplesmente 3 ou 4 semanas de recuperação e depois começa um novo ciclo específico ficará expostos aos seguintes riscos:

– Que a sua cabeça seja seu obstáculo: a cabeça pode chegar a ser tanto ou mais importante do que o corpo durante a preparação para uma maratona. Os ciclos específicos supõem muita pressão mental e, se não deixarmos tempo entre eles para que a cabeça também descanse, é fácil cair na falta de motivação ou uma diminuição no seu rendimento sem entender muito bem por que.

– Maior risco de lesões: uma carga contínua para o seu corpo pode prejudica-lo e não proporcionar o tempo suficiente de recuperação, aumentando o risco de sofrer lesões.

– Menor rendimento: se a sua cabeça e seu corpo estão constantemente exigidos, seu rendimento vai acabar diminuindo.

Após passar por essas 3 ou 4 semanas de recuperação e descanso ativo, o ideal seria permanecer pelo menos 1 ou 2 meses de treino fora do ciclo específico. Aproveite para fazer um trabalho maior de força, condição física, ritmos controlados e criar uma boa base para enfrentar um novo ciclo específico.

O que aconteceria se eu me sentir bem após uma maratona e tento correr outra em breve?

Após preparar bem uma maratona, a sensação costuma ser a de que estamos muito bem fisicamente, e é relativamente normal ter vontade de correr outra. Durante mais ou menos um mês, sua forma será muito boa, mas logo virá uma baixa importante.

Contudo, por mais que você esteja em forma durante esse mês, é aconselhável não enfrentar novamente o intenso desgaste da maratona. Você pode aproveitar sua forma física para participar de alguma corrida mais curta enquanto estiver na fase de recuperação.

Se o seu corpo pedir, é bom correr algumas corridas curtas ou inclusive de 10/12 km, pois ele sofre os efeitos da supercompensação após toda a preparação da maratona, e apresenta algumas semanas de ótimas sensações e bom rendimento.

Enfrentar outra maratona durante esse mês pode ter consequências como lesões ou sentir que as pernas não respondem ou parecem pesadas durante uma competição. Não é possível garantir o que vai acontecer nesse tipo de distâncias pois é como se fosse uma loteria. É possível você se dar bem e inclusive realizar um tempo aceitável.

Entretanto, a estatística e a lógica dizem que enfrentar duas provas tão exigentes como uma maratona num período tão curto pode gerar uma lesão séria. Não há nada pior do que querer treinar e competir e ter que passar meses parado por causa de uma lesão. E quando digo meses, podem ser facilmente 6 ou mais.

Para mim, competir numa maratona significa dar o máximo de nós. Outra coisa é sair para passear, embora o simples fato de estar tantas horas correndo também abre as chances de sofrer uma lesão.

Todas essas considerações são feitas pensando que quando vamos competir, daremos o melhor de nós, não vamos simplesmente correr com a finalidade de terminar a prova.

Acredito que é um erro grave terminar um objetivo e poucos dias depois estar trabalhando no próximo ciclo específico.

A resposta final: quantas maratonas podemos correr em um ano?

Eu corria duas maratonas por ano e considero que se você quer se preparar bem (cada um de acordo com suas possibilidades e circunstâncias), este é o número recomendável. E se você quiser prepará-la muito bem e ter mais tempo para não fazer nada ou para outros compromissos, é melhor uma por ano.

Considerando que você deveria no mínimo deixar uns 4 meses entre uma maratona e outra, mesmo assim poderia chegar a fazer 3 em um ano, mas estaria praticamente encadeando ciclos específicos, e seria fácil acabar sofrendo uma lesão ou baixo rendimento. Isso sem esquecer que é preciso ter bastante tempo para isso, considerando que você é um atleta popular e tem outros compromissos além do esporte.

Na minha opinião, duas maratonas por ano é o número ideal. Você vai ter tempo para preparar a prova e tempo para se recuperar. Lembre-se de que o resultado da sua próxima maratona vai depender de como tiver se recuperado da última.

No meu caso, eu corria a maratona da primavera e do verão. Toda a minha temporada era organizada com base nessas duas competições para obter nesses momentos os picos de forma. Depois era possível considerar pequenos sub-objetivos ou corridas mais curtas ou crosses durante a temporada, mas as datas fundamentais eram essas duas maratonas.

Depois desses objetivos eu tinha um período de descanso de 4 ou 5 semanas, mas não eram de descanso total. Fazia outros treinos alternativos. Passadas estas 4-5 semanas retomava tudo com miras ao novo objetivo.

AUTOR: Toni Peña, 3º melhor recorde espanhol de maratona (2h07’34’’), elabora planejamentos online de treino personalizado e proporciona feedback para seus atletas no site http://www.bikilo-running.es/

CONTACTO



Teléfono: +56 22 248 0631

Mail: Info@maratondesantiago.com